30/11/2018 às 06h00min - Atualizada em 30/11/2018 às 06h00min

Seleção brasileira de judô deixa Grand Slam de Osaka sem medalhas

Próximo desafio da equipe será o World Masters de Gwangzhou, na China, última etapa do ano

Confederação Brasileira de Judô (CBJ)

Rafael Macedo (de branco) chegou à disputa pelo bronze, mas acabou derrotado. Foto: IJF/Divulgação

O judô brasileiro encerrou nesta madrugada sua participação no último Grand Slam do ano, em Osaka, no Japão. Os destaques deste domingo foram Beatriz Souza (+78kg), Rafael Macedo (90kg) e Rafael Buzacarini (100kg), que chegaram às disputas pela medalha de bronze de suas categorias, mas terminaram em quinto lugar, assim como Eric Takabatake (60kg), no primeiro dia de competição.

Eles somaram 360 pontos no Ranking Mundial, que será atualizado nesta segunda-feira e definirá os 16 melhores de cada categoria classificados para o World Masters de Gwangzhou, na China, nos dias 15 e 16 de dezembro. O campeão do Masters levará 1800 pontos no ranking e já começará a temporada 2019 com boa vantagem na corrida pela classificação olímpica rumo a Tóquio 2020.
 

As lutas

Representante do Brasil no peso médio masculino (90kg), Rafael Macedo estreou bem em Osaka, finzalizando Mattias Kuusik, da Estônia, com um estrangulamento no primeiro minuto de luta. Nas oitavas, o brasileiro derrotu o holandês Jasper Smink novamente por ippon (dois waza-ari) e avançou às quartas-de-final. Nessa fase, Macedo fez luta equilibrada contra o japonês Shoichiro Mukai. Ambos foram punidos por evitarem a pegada um do outro e, em seguida, o japonês levou uma segunda punição pelo mesmo motivo. Nos minutos finais, Macedo acabou sofrendo outras duas punições, também por evitar a pegada do adversário, e foi desclassificado do combate nas punições (3-2).

Na repescagem, Macedo se impôs e venceu David Klammert, da República Tcheca, por ippon e avançou à disputa pelo bronze. Na briga pela medalha, porém, o alemão Eduard Trippel conseguiu o ippon sobre Macedo e ficou com a medalha. O pódio do 90kg ficou com Shoichiro Mukai (Japão) em primeiro, Noel Van T End (Holanda), em segundo lugar, Trippel (Alemanha) e Sanshiro Murao (Japão), em terceiro.

Nos 100kg, Rafael Buzacarini teve um desempenho perfeito nas preliminares. Ele derrotou o americano L A Smisth III na primeira luta, por waza-ari, e foi às oitavas, onde desbancou o atual número um do mundo, vice-campeão mundial e olímpico, Varlam Liparteliani, da Geórgia, com um waza-ari no golden score para avançar às quartas. A classificação às semifinais veio com vitória sobre o sueco Joakim Dvarby, por ippon.

Para chegar à final, Buzacarini precisaria passar pelo campeão mundial Aaron Wolf, do Japão, mas sofreu um waza-ari e foi para a disputa de bronze. A luta derradeira pela medalha foi contra o português Jorge Fonseca, que levou a melhor sobre o brasileiro, vencendo o combate por ippon. O ouro do meio-pesado foi para o japonês Aaron Wolf, que derrotou o canadense Shady Elnahas na final. Os bronzes ficaram com Fonseca e Kentaro Iida, do Japão.

No peso pesado masculino (+100kg), em sua primeira competição após o Campeonato Mundial de Baku, Rafael Silva enfrentou o alemão Sven Heinle em combate decidido nas punições, com Baby levando três shidos contra dois do alemão. Atual número 9 do ranking mundial, o brasileiro deve permanecer entre os classificados para o World Masters e encerrar seu ano de 2018 na competição na China, em dezembro. O título da categoria no Japão ficou com o holandês Henk Grol, que derrotou o tcheco Lukas Krpalek na decisão. Os bronzes foram para Kokoro Kageura, do Japão, e Tamerlan Bashaev, da Rússia.

Já no peso pesado feminino (+78kg), Beatriz Souza retornou ao Circuito Sênior em Osaka um mês após conquistar o vice-campeonato mundial júnior. Estreou com vitória por ippon sobre Gabriella Wood, de Trinidade e Tobago, mas parou na japonesa Akira Sone, nas quartas.

A brasileira recuperou-se em grande estilo na repescagem, com um waza-ari e o ippon sobre a croata Ivana Maranic para chegar à disputa pelo bronze, onde encarou novamente uma atleta do Japão. Após dois minutos de combate com Nami Inamori, Bia sofreu o ippon e terminou em quinto lugar. Ela é a atual número 8 do mundo e também deve se manter entre as classificadas para o World Masters. A cubana Idalys Ortiz foi a grande campeã do pesado feminino em Osaka, derrotando Akira Sone, do Japão, na final. Os bronzes ficaram com outras duas japonesas: Nami Inamori e Sarah Asahina.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »