08/11/2018 às 06h00min - Atualizada em 08/11/2018 às 06h00min

Hospital de Taguatinga faz mutirão de cirurgia de câncer de próstata

No Distrito Federal, estimativa do Instituto Nacional do Câncer aponta a ocorrência de 78,14 casos da doença por grupo de 100 mil habitantes até o final deste ano.

SES

egundo Marcos Valbuena, os homens precisam fazer exames anualmente a partir dos 50 anos. (Breno Esaki)
Um grupo de 38 pacientes com câncer de próstata e de pênis, hiperplasia prostática e outros diagnósticos relacionados será beneficiado com a realização de um mutirão de cirurgias iniciado  no Hospital Regional de Taguatinga. A previsão é de que a força-tarefa, feita em alusão ao Novembro  Azul, zere a fila de pacientes com câncer de próstata no HRT.

 
No Distrito Federal, estimativa do Instituto Nacional do Câncer aponta a ocorrência de 78,14 casos da doença por grupo de 100 mil habitantes até o final deste ano. O que acomete a próstata é o tipo mais comum nos homens, depois o tumor de pele não melanoma. A cada hora, sete casos novos são diagnósticos no Brasil, sendo que a doença causa a morte de cerca de 20% dos pacientes.

 
Diante deste cenário, o mutirão realizado no HRT se tornou ainda mais estratégico, com o intuito de dar qualidade de vida aos pacientes acometidos por esta patologia. Por isso, foram escalados urologistas, anestesistas, enfermagem, residentes, voluntários e outros profissionais, além de reservados espaços no centro cirúrgico para esta finalidade.

“As cirurgias serão realizadas das 7h às 19h, às segundas-feiras, em duas salas em cada turno. Nas quartas e quintas-feiras, as cirurgias ocorrerão em uma sala, em apenas um turno”, explicou a chefe do centro cirúrgico do HRT, Mônica Dias.
 

No ano passado, o mutirão do Hospital Regional de Taguatinga beneficiou 29 homens com neoplasias. Este ano, no início das atividades no centro cirúrgico do hospital, a superintendente da Região Sudoeste, Lucilene Florêncio, destacou que os procedimentos cirúrgicos são de média e alta complexidade e podem durar até seis horas.

“Os pacientes submetidos ao procedimento precisam ficar internados por aproximadamente cinco dias até receber alta. Nós priorizamos os pacientes mais graves e de acordo com a faixa etária, já que o câncer de próstata acomete principalmente pessoas com idades mais avançadas”, disse Florêncio.

 
De acordo com o urologista Marcos Valbuena, os homens precisam fazer exames anualmente a partir dos 50 anos. “Qualquer homem pode desenvolver câncer de próstata. Porém, os negros e aqueles que têm casos na família, precisam ficar atentos a partir dos 45 anos”, disse, ao lembrar que é necessário realizar o exame de toque retal e o PSA.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »