25/07/2018 às 12h00min - Atualizada em 25/07/2018 às 12h00min

Uniduniler Todas as Letras realiza 5ª edição do FIL ­ Festival Itinerante de Leitura

02 a 26 de agosto.

Acha Brasília

FIL ­ Festival Itinerante de Leitura (Foto: Adriaa Franzin)

Depois de alcançar reconhecimento internacional em 2017 por sua importância na implementação do hábito da leitura para a primeira infância, crianças de zero a seis anos, pelo CERLALC – Centro Regional para el Fomento del Libro en América Latina y el Caribe, sob os auspícios da UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, o Uniduniler Todas as Letras dá início à sua 5ª Edição e promete, mais uma vez, cativar Regiões Administrativas do DF em torno de livros, leituras e afetos.

Desde 2013, o brasiliense Uniduniler, idealizado pela jornalista e escritora Alessandra Roscoe, quem também assina a sua coordenação geral, realiza o FIL – Festival Itinerante de Leitura. Projeto que percorre creches, asilos, hospitais e casas abrigo levando, gratuitamente, com leituras afetivas, performances, contações de histórias, canções e poesias.

Realizado com recursos do FAC – Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, o V FIL vai reunir uma caravana de escritores, ilustradores e arte educadores brasilienses ou radicados por aqui, assim como vindos de outros estados e também do exterior, por nove Regiões Administrativas do DF para promover encontros diretos entre eles e leitores de todas as idades.

O Festival Itinerante de Leitura, neste ano, teve início em junho com encontros de formação para idosos e jovens e com uma revoada de pipas ilustradas, mas vai concentrar suas ações ao longo de todo o mês de agosto, quando serão promovidos 16 eventos literários em creches, hospitais, escolas, asilos e também numa casa abrigo e num acampamento rural.

Segundo Alessandra Roscoe, “a ideia é mostrar que a leitura pode ser muito mais que decifrar códigos, que todos podem se encantar com o poder de um livro aberto, de uma história partilhada, mesmo quem ainda não sabe formalmente ler ou escrever, juntar letras para formar palavra”, e pontua “o FIL contempla todas as leituras possíveis, que estão muito além das páginas escritas”.

Entre os convidados do V FIL, estão a bailarina bielorrussa e arte educadora especializada em primeira infância, Inesa Markava, e a musicista portuguesa, Raquel Gomes, ambas do Berço da Artes da Sociedade Artística e Musical de Pousos (SAMP/Portugal). Do Brasil, participam autores e ilustradores com trajetórias reconhecidas e vários prêmios acumulados no Brasil e no Exterior.

Entre os confirmados para esta edição estão Alessandra Roscoe, Adriana Nunes, Dad Squarisi, Romont Willy e Tino Freitas, todos do DF; Alex Gomes e Cris Alhadeff; do Rio de Janeiro; Alexandre Rampazo e Penélope Martins, de São Paulo; e o ilustrador Roger Mello, único brasileiro premiado com o Hans Christian Andersen de ilustração, considerado o Nobel da Literatura Infantil.

Em suas quatro edições anteriores, o Uniduniler e o FIL já foram ao encontro de mais de seis mil espectadores, em especial, bebês, crianças, mulheres em situação de vulnerabilidade, pessoas com necessidades especiais e idosos. Ao todo, mais de 30 escritores, ilustradores e mediadores de leitura, entre premiados e com reconhecimento nacional e internacional, já participaram do projeto.

Preparatórios de formação

Destinados a profissionais da saúde e da educação, assistentes sociais, cuidadores de idosos e grupos de família, os encontros capacitam pessoas em mediadores de leitura. Nas palestras, são partilhadas técnicas, repertório literário e acervo para a realização das leituras. O programa também é um espaço de reflexão e encontro com ferramentas e subsídios lúdicos para estimular a criatividade artística desde a primeira infância até a terceira idade.

Rodas de leituras, histórias e cantigas

Onde a literatura, as narrativas orais, as artes plásticas, a dança e a música se encontram para despertar a alegria de ler. Escritores, ilustradores e músicos, promovem concertos de leitura, contam, ilustram e cantam e contam suas histórias. Num formato de show, conversam com o público sobre os processos criativos e demonstram como nascem os livros e as histórias de cada livro.

Leituras com idosos

Conduzidas pelo afeto e pela troca, as atividades com buscam resgatar, por meio das leituras, retalhos de memórias que são “costurados” de maneira colaborativa em uma colcha poética de retalhos. As dinâmicas aplicadas em asilos, abrigos, associações comunitárias e hospitais estimulam a participação e a interatividade, desenvolve potencialidades, fortalece a autonomia e a autoestima na terceira idade.

Leituras sensoriais com bebês

Como tudo o que é bom precisa ser dividido, as leituras oferecem oportunidades interativas de se descobrir a literatura de maneira prazerosa e com os mais diversos públicos. Com recursos sensoriais, bons livros, diferentes formas de ler e muitas histórias o FIL percorre lugares onde nem sempre a leitura está presente, como creches, asilos, hospitais, casas abrigo, UTIs neonatal, feiras, dentre outros espaços. No colo, com videntes e com os que não enxergam, com aqueles que ainda estão no ventre, há muitas maneiras de se estimular a leitura. Mesmo bebês, que não foram alfabetizados ou não sabem sequer falar ainda, ‘leem’ afetos e percebem nos livros um mundo a ser descoberto e explorado através dos sentidos.
Exceto às que acontecem na Casa Abrigo e nos hospitais, todas as atividades são abertas ao público, gratuitas e têm classificação indicativa livre.

Programação completa em: unidunilertodasasletras.wordpress.com

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »